Fitogeografia de biomas tropicais: ecologia funcional, origem e dinâmica espaciotemporal

por Brenda
Publicado: 29/06/2018 - 12:10
Última modificação: 29/06/2018 - 12:10

Biomas são grandes tipos de comunidades distribuídas globalmente e identificadas por meio da similaridade estrutural e funcional (fisionômica) de sua vegetação. Em escala global, a distribuição dos biomas é determinada direta e indiretamente (e.g. regimes de distúrbios) pelo clima. No entanto, um mesmo bioma pode variar geograficamente quanto a uma série de características funcionais, estruturais, bem como quanto aos regimes de distúrbio e ao envelope climático característico. Nesse contexto se destacam as savanas tropicais, segundo maior bioma tropical, as quais apresentam grande heterogeneidade intra- e inter-regional, por vezes, intercontinental, em uma variedade de características. Alguns exemplos incluem diferenças intra- e intercontinentais em envelope climático, nas estratégias de crescimento e alocação das espécies vegetais, nos regimes de distúrbios (fogo e herbivoria) e em suas fisionomias. Além disso, savanas formam complexo de biomas a escala de paisagem, ocorrendo em mosaico com florestas e campos tropicais, provavelmente como estados estáveis alternativos a essesbiomas. Evidências sugerem que desses biomas se originaram as espécies lenhosas atuais das savanas. Assim, apesar da aparente homogeneidade, as savanas tropicais são complexas e heterogêneas, e os seus determinantes abióticos e bióticos, bem como os mecanismos de interação entre as espécies e de sua evolução, estão apenas começando a ser compreendidos. Um consenso emergente, no entanto, é o de que os distúrbios (fogo, herbivoria, inundações) são de vital importância para entender a dinâmica, origem, evolução e funcionalidade desse bioma. Assim, o presente projeto visa compreender: (1) os fatores responsáveis pela distribuição geográfica e dinâmica espaciotemporal dos biomas de savana e floresta tropical, suas espécies, seus grupos e características funcionais e suas fisionomias; (2) as diferenças intercontinentais nas características climáticas, edáficas e regimes de distúrbio entre as diferentes savanas e florestas tropicais; (3) aspectos evolutivos envolvidos no surgimento das linhagens de savana a partir de ancestrais florestais: ajustes morfológicos, fisiológicos e anatômicos, mecanismos de contrabalanço (tradeoffs) e síndromes funcionais; (4) entender os processos que desencadearam a origem dos biomas tropicais, especialmente das savanas.