Avaliação da qualidade ambiental da bacia do rio Uberabinha (MG): uma abordagem integrada utilizando parâmetros físico-químicos e macroinvertebrados bentônicos como bioindicadores

por Brenda
Publicado: 29/06/2018 - 09:59
Última modificação: 02/10/2018 - 14:30

Em ecossistemas altamente ameaçados pela ocupação humana, como é o caso do Cerrado, ainda há relativamente poucos trabalhos realizados com macroinvertebrados de ambientes lóticos. Nesses ambientes, a realização de pesquisas básicas e aplicadas que potencializem sua conservação são prementes, já que o impacto resultante da expansão agrícola, com o desmatamento abusivo da vegetação e utilização indiscriminada de fertilizantes e agrotóxicos nas áreas rurais, assim como a pressão exercida pela incorporação imobiliária e poluição industrial e doméstica nas áreas urbanas têm resultado em profundas alterações ou mesmo no desaparecimento de sistemas lóticos do Cerrado. A região do Triângulo Mineiro é rica em recursos hídricos, mas apesar de alguns esforços das administrações públicas municipais e de organizações não governamentais, os impactos antrópicos resultantes de diferentes agentes estressores têm sido crescentes. Embora alguns estudos relacionados à poluição dos ambientes lóticos da região tenham sido desenvolvidos, poucos trabalhos abordaram a utilização de macroinvertebrados bentônicos como bioindicadores em cursos d água da região. Nesse sentido, estudos mais amplos que envolvam a caracterização físico-química e da macrofauna bentônica de sistemas aquáticos e, particularmente, a definição de índices bióticos de qualidade ambiental adaptados às condições regionais, são de grande importância para a elaboração de propostas efetivas de gerenciamento hídrico, envolvendo planos de monitoramento e medidas de preservação e/ou recuperação destes ecossistemas aquáticos. O objetivo do presente projeto é avaliar a qualidade ambiental do Rio Uberabinha e de seus principais afluentes utilizando parâmetros físicoquímicos e macroinvertebrados bentônicos presentes nesses ambientes lóticos como bioindicadores. Pretende-se especificamente: Realizar um diagnóstico dos principais parâmetros físico-químicos da água e do sedimento do Rio Uberabinha, inclusive da contaminação por metais. Este projeto teve financiamento da FAPEMIG por um período de dois anos e depois tem recebido apoio do PELDCNPq/FAPEMIG.